domingo, 2 de março de 2014

Excesso de Bagagem

Gosto de viajar, conhecer novos lugares, novas pessoas, uma viagem é sempre motivo para expectativas. Uma das preocupações  é a bagagem, o que levar, o que não levar. Nós mulheres acabamos exagerando, e quem já não andou pela casa olhou algo e disse: " Vou precisar disso". O engraçado que, quando chegamos ao destino nos damos conta que levamos bagagens desnecessárias, roupas demais, calçados demais, enfim, não precisávamos da metade, e carregamos peso a toa. A cada viagem estou lutando pra diminuir o excesso. Fui passar um final de semana com uma amiga, quando ela chegou no aeroporto, viu a mala e perguntou: " Vai ficar um mês? '', Realmente era exagero, acabei tendo que pagar pelo excesso de bagagem.Outra viagem, uma semana na casa do meu irmão, que dilema! Meu not é indispensável, o primeiro item da bagagem, e o que mais iria precisar, teria que trabalhar lá, agenda, régua, caneta, fio de rede e meu modem wi-fi, bíblia, livro, roupas, é... muita coisa, uma semana é muito tempo! Quando ele chegou pra me pegar, sentou e perguntou: " Vai morar na minha casa? '' Fato! Precisava lidar com a bagagem nas próximas viagens. Algo de máxima urgência! Férias de final de ano, 10 dias, e lá estava eu de novo com meu problema, a ''BAGAGEM'', 10 dias! Parei e comecei a pensar: " Vou dar um jeito, eu posso, vou conseguir levar o mínimo possível, são 10 dias na praia, vou conseguir!''. Comecei a arrumar a mala, primeira providência: a mala,  menor possível. E comecei a árdua tarefa se diminuir a bagagem, já estava cansada de carregar malas pesadas, tem horas que precisamos ver as prioridades. Roupas? Bem em 10 dias eu poderia lavar, não era necessário o guarda-roupa todo. Calçados? É praia, não um desfile. No final, consegui! Depois de muitos anos, sai em viagem com o mínimo de bagagem possível, e pasmem! Não usei tudo o que levei. Passei a meditar mais sobre o assunto ''Bagagens", as bagagens que carregamos durante a viagem que é a VIDA. Confesso que já carreguei muitas bagagens desnecessárias, e assim como nas últimas viagens coloquei em prática a aventura de levar o mínimo possível, praticando o desapego e levando comigo a cada fase da vida somente o que vou usar. Costumamos nos sobrecarregar de cuidados, angústias e solicitude pelo amanhã, como vai ser e o que encontraremos na próxima esquina. Concordo que é assustador sair em uma viagem sem o roteiro completo, no mundo atual, onde as surpresas são inevitáveis no caminho, é possível que algo atrapalhe o desempenho da viagem. Há um tempo não tão distante, quando me preparava para viajar, além do excesso de bagagem, calculava os horários de saída de chegada, tudo cronometrado, mania de controle até mesmo do tempo. Mania essa, que tive que esquecer, superar, pois hoje nada mais é cronometrado, nos últimos quilômetros na estrada da vida, aprendi que o tempo não pertence a mim. Passei a me livrar dos excessos de cuidado, excesso de rancor e os coisas mal resolvidas. Abri a mala do passado e cada item contida nela foi analisado e muitos jogados fora, Não preciso mais deles! Encontrei uma caixa bem no fundo, escondida, quando abri me causou muito mal, muitas dores, fiquei infectada por lembranças dolorosas, um vírus que leva a morte. Foi quando o médico por excelência Jesus, me mostrou  o antídoto chamado perdão, e a cada gota ingerida o alívio foi instantâneo, senti o bálsamo que cura as feridas da alma, e o senti alegria e ânimo para continuar a  viagem. Decidi, nunca mais carregar excessos, não deixar nada para resolver amanhã, perdoar ao próximo e a mim mesma. Entendi que o ser humano é imperfeito e que eu mesma também imperfeita, erro e nem sempre reajo da melhor forma diante as pedras no caminho. Tem dias que sento na BR e choro, olho para os lados, vejo os viajantes apressado com seus roteiros,  e o desespero invade, a solidão chega querendo ser companheira na viagem, me sinto tão pequena,  um cruzamento à vista, o que fazer? Ouço a voz da desesperança me dizendo: " Desista!''. Por alguns minutos, meu cérebro cansado cede e concordando com a desistência. Olho o caminho percorrido, e com voz embargada, peço ajuda àquele que conhece todos os caminhos, ao Criador da vida, ao meu Deus, lembro que o Salmista Davi me orienta que é de cima que vem o meu socorro. Sinto o vento da esperança bater em meu rosto, ouço uma voz suave:" Seja forte e corajosa!Não se apavore nem desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde andares.''Josué 1.9. Levanto-me, olho ao redor e recomeço a viagem. Todos os dias é uma oportunidade de recomeçar, jogar fora todo o excesso de bagagem, tudo o que causa tristeza e dêsanimo. Guardar somente as palavras que nos animam, ter como companhia somente amigos verdadeiros e sinceros, amor, misericórdia e perdão são essenciais. Nunca desperdiçar as oportunidades e guardar o coração, pois segundo o sábio Salomão, é dele que procede as saídas da Vida!Provérbios 4.23  

Vera Lúcia

3 comentários:

  1. Vera muito bom o blog ,mensagem que edifica Deus te abençoe..
    Deixo meu carinho.
    http://reginaladydapaz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Bonita reflexão, Vera.

    Na viagem da vida, precisamos mesmo tirar o excesso de bagagem, como diz o título da postagem.

    Ótimo final de semana para você!

    ResponderExcluir
  3. obrigada Will. Com certeza, temos todos os dias tirar o excesso de bagagem, aquelas que acumulamos no caminhar!

    ResponderExcluir