quarta-feira, 10 de abril de 2013

Ser Mãe...



“ Ser mãe é padecer no paraíso” Quem não ouviu essa frase? Ser mãe é algo sublime, é algo inexplicável.  É um padecer sem pedir nada em troca. A partir do momento que você  ouve: “ POSITIVO” sua vida não é mais a mesma. No primeiro instante a felicidade, depois a expectativa domina seu ser, 9 meses... quantas perguntas, quanta ansiedade. Nasce, e você tem em seus braços um pedaço seu, uma esperança... Colocamos nos filhos todas as expectativas frustradas, os sonhos não realizados, a certeza  de vermos se cumprir na vida deles o que não vimos na nossa. Ser mãe é amar incondicionalmente, é não dormir mais tranquilamente,  é deixar de pensar em si e pensar sempre nos filhos, no seu bem estar. Só entendemos o que nossas mães passaram e nos falavam quando somos mãe!  Como é gratificante ouvir a palavra “MÃE”, quando vemos o sorriso e os braços estendidos, quando ouvimos as primeiras palavras, os primeiros passos, a dor do parto parece utopia. Ser mãe é também responsabilidade, o Salmista nos diz no Salmo 127:3 que os filhos são herança do Senhor, são algo precioso. Deus nos deu essa responsabilidade de cuidá-los, ensiná-los o bom caminho, “Ensina o menino no caminho em que deve andar, e mesmo quando envelhecer não se afastará dele.”Provérbios 22:6. Como ser mãe nos dias atuais? Como criá-los em dias tão difíceis... O segredo é confiar nossos filhos nas mãos de Deus, fazer a nossa parte e crer que Deus cuidará do meu e do seu filho quando não pudermos fazer. Algo me chamou atenção certo dia quando meu filho disse que via quando eu orava a Deus todas as noites, eu pensava que ele estava dormindo. Sim, nossos filhos prestam atenção em tudo o que fazemos, em todas nossas ações as  boas ou ruins. Por isso devemos prestar atenção e nunca esquecer que temos espectador ao nosso lado todos os dias. Enfim, ser mãe é muito mais... Ser mãe é a maior expressão de amor!
Vera Lúcia
10/04/2013

Um comentário:

  1. Talvez não haja mais bela tarefa atribuída pela criador às mulheres, pois é nessa tarefa que o amor ganha sua dimensão mais nobre: amor de mãe.

    O jornalista Dráuzio Varela, trabalhando como médico muito tempo num presídio, confessou que para a maioria dos encarcerados que cumpriam pena de muitos anos, só a mãe ia visitá-los. E concluiu: "amor, só de de mãe".

    Tocante e acolhedora tua forma de escrever.

    ResponderExcluir