quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Manhã no Deserto da Vida


 Sabe quando você acorda de manhã, e o dia parece tão sem graça, sem sentido. É uma manhã no deserto da vida.Levantei, olhei  ao redor sem saber o que fazer,  tudo parecia sem vida. Estava no deserto sem vegetação alguma, apenas areia e o sol escandante sobre minha cabeça. A dor que invadia a alma é imensa, derepente o sol não tinha mais brilho, e a vida parecia tão efêmera. A dor da decepção é aguda, como  uma faca pontiaguda que ultrapassa meu corpo físico. Quantas expectativas e tudo em vão. Como entender os porquês da vida, costumo dizer que nada é perfeito e em dias assim, vejo que não estou errada. Em um piscar de olhos tudo desaba,  desmorona fazendo um barulho imenso. Tudo o que parecia certo é mais que incerto, sonhos? Utopia pura. São os desertos da vida. Lembro-me de Jó quando perdeu tudo, ele desejou nem ter nascido, seus melhores amigos não entendiam seu sofrimento, tentavam em vão entender os porquês. Eu e você ficamos assim, perdendo tempo,  gastando energia tentando entender os momentos, as circunstâncias que nos sobrevém. Uma amiga  sempre me disse: " Espere sempre o pior assim você sofre menos." Em dias assim, concluo que ela tem razão. E os projetos de Deus, os sonhos de Deus?  Sonhei e agora?Sonhei o sonho errado? O que me chama a atenção no deserto de Jó, é que ele tinha um caco de telha para aliviar a dor. Olho ao redor, e o meu caco de telha onde está? A dor está forte,  será que vai passar?  Quantas indagações... Nesse momento me transporto para a conversa de Deus com Jó, quando Deus lhe faz entender que ele tudo pode, que tudo criou e que nossas indagações são meras palavras e que o próprio Deus nos encaminha ao deserto assim como fez com o povo de Israel para sondar os seus corações. Jó entendendo isso diz: " Bem sei que tudo podes e nenhum dos teus propósitos pode ser impedidos." Jó 42:2. Jó se rende a vontade de Deus. Sim, se render a vontade de Deus é o melhor caminho no deserto. Em meio as divagações de uma manhã no deserto, conclui: "Vou me render a vontade de Deus," Como disse Neemias: " Orei ao Deus dos céus." Falei a Deus: " chega de tentar entender o que não é para ser entendido, eis-me  aqui para viver a tua vontade, quero comer o maná que tu envias no deserto, porque os seus propósitos não podem ser impedidos em minha vida." Senti uma brisa suave em meio ao sol do deserto, um bálsamo invadiu minha alma, senti o abraço do meu amigo fiel e de todas as horas, Deus ouviu o meu clamor, Deus ouviu a minha voz! Não estou sozinha! Deus está comigo! Não vou morrer no deserto, vou vencer, ultrapassar os limites da dor. Senti uma força sobrenatural, me levantei e disse para a autopiedade, e sua colega depressão: " Vão embora". Olhei para a solidão e disse: " Você não é bem vinda em minha vida, não estou sozinha, meu Deus comigo está". Como o salmista no salmo 121, pude erguer os olhos e ver que meu socorro vem dos céus, vem de Deus, quando os amigos não podem me ajudar, quando o homem falha, Deus continua fiel, Deus não decepciona, nos ama incondicionalmente. Senti a água da esperança, a água viva fluir no deserto, no deserto da minha vida, e estou vendo como os israelitas viram, os milagres no deserto, o mar se abrir, a providência divina a cada manhã. As manhãs com Deus são manhãs de vitórias, temos um Deus que nos dá vitória no deserto!!
 
Vera Lucia 23/01/2013

2 comentários:

  1. Parabéns irmã, que Deus continue lhe inspirando em suas mensagens.
    Já estou seguindo seu blog.
    Deixo o endereço do meu para irmã fazer uma visita,
    blog http://franciscogois.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. obrigada!! Visitarei e seguirei seu blog. Que Deus lhe abençoe.

    ResponderExcluir