quinta-feira, 21 de abril de 2011

O caminho....

Na caminho da vida, em meio a pedras e espinhos. Muitas vezes os pés sangraram, outras vezes, ao deparar com as pedras imensas, quase rochas impedindo a passagem, pensei, vou parar. Vou retroceder. Mas algo muito forte dentro do meu ser me impulsionou a dar mais alguns passos, era a voz do doce Espírito Santo. “ Força, ânimo, mais um pouquinho...” Essa voz era a minha companhia. Essa voz acalmava meu coração. Espantava a solidão que doía. As marcas das calúnias, da discriminação e incompreensão, pareciam menor. A dor das decepções e traições ficavam tão pequenas diante do calor dessa voz amiga. Quantos amigos se foram, quantas pessoas me abandonaram. Mas, meu amigo de todas as horas, nunca me deixou, o amigo Espírito Santo. Esse amigo que me consolou tantas vezes, tantas lágrimas ele presenciou e me disse: “ Um dia terá fim, um dia o sol vai brilhar, acredite, não estás sozinha.” São os momentos que jamais esquecerei. Os dias e horas que tive o Pai, Filho e Espírito Santo como companheiros, guia e mestres. É o pai que entende o filho, mesmo que todos ao redor julguem, joguem pedras, desejem a morte ou ainda digam: “ Agora é o fim.” Deus, pai amoroso, sempre me disse: “ Sou contigo e grandes coisas tenho para tua vida, continue, lute.” Assim, consegui andar, consegui vencer vários gigantes no caminho. Quantas vezes ouvi: “ Isso não é pra você”. Diante do pomar tão lindo, com frutas frescas para serem colhidas, por mais que ouvisse vozes desanimadoras, sempre lembrei que eu conheço o dono do pomar, e a voz amiga sempre me dizendo: “ Eu que digo sim, eu que digo não”. Mais uns passos eu dei rumo a terra prometida, as promessas do Senhor Deus em minha vida. Assim como ele disse a Abraão um dia: “ Sai de tua parentela para uma terra que te mostrarei, e te farei uma grande nação.” E abraão creu e saiu a peregrinar. Diante de todas as adversidades encontradas no caminho da promessa, Abraão sempre teve a voz de Deus como conforto, dizendo: “ Sou teu escudo”. Crendo que Deus é fiel e cumpre todas as palavras ditas a minha vida, tenho andado e tenho visto sua mão ao meu lado. Um dia após o outro Deus começa a cumprir as promessas. Sonhos que a mim pareciam impossíveis, começam a nascer, as folhinhas crescem, vejo diante dos meus olhos se tornarem realidade. Aqueles que ainda são impossíveis para mim, eu sei que Deus entrará com providências e os fará vir a tona. Projetos que pareciam irreais, se tornam realidade, porque, para Deus há impossível, “ Agindo Deus quem impedirá”.

Vera Lucia 21/04/2001

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Meu barquinho

"O vento balançou meu barco em alto mar..." Meu Barquinho, música linda e está no auge no momento, cada vez que ouço me emociono. Música real, quantos ventos balançam nosso barquinho nesse mar da vida. Quantas manhãs me sinto como uma andorinha voando sozinha no imenso céu da minha vida. Quantas manhãs o vento bate no meu barquinho, tem dias que é tão forte que vejo-o começar a virar, vindo assim o fim. Ele balança pra cá e pra lá. Vento, forte, vento impetuoso que tem por objetivo virar a embarcação, me afogando no imenso mar. Muitas vezes esse vento, passa e derruba alguns sonhos, algumas amizades ficam balançadas. O medo me cerca, a dúvida que não perde tempo aparece dizendo: "Você não vai conseguir". A incerteza, mais que depressa grita: "é o fim". O desespero bate, a angústia toma conta, e o grito saí do fundo da alma: "Socorre-me Jesus de Nazaré!!"Nesse momento, sinto a forte mão do mestre me segurando em pé no barco da vida, ouço sua voz mansa e suave: "Aquieta-te vento, acalma-te mar". Nesse momento começo a cantar: " Não temo mais o mar, pois firme está minha fé, no meu barquinho está Jesus de Nazaré, se o medo me cercar ou se o vento soprar, seu nome clamarei, ele me guardará...."

Vera Lucia 04/04/2011